segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Se segura, malandro



Tema da semana: Pessoas que tiram vantagem. 
  
Muito provavelmente você, leitor (a), já ouviu falar sobre a Lei de Gérson. Para quem não conhece, uma breve explicação: essa lei ficou assim conhecida devido a um comercial de cigarros feito por um famoso jogador de futebol da década de 70, o Gérson – jura? – e nesse a frase “o importante é levar vantagem em tudo, certo?” acabou se destacando mais até do que o produto oferecido. Em resumo: essa "lei" tem a ver com a fama que as pessoas têm de levar vantagem em tudo, remete ao jeitinho brasileiro, à malandragem que é comum por aí.

Em um primeiro momento a gente pode até pensar que isso de levar vantagem  está muito longe de nós. Mas eu discordo. Quem está livre disso? Você? Pois eu não. E tenho uma excelente ilustração a respeito disso: minha vida profissional (senta que lá vem a história).

 A pessoa que vos escreve começou “engatinhando”, ganhando uma ninharia para fazer o que faz um hoje por um valor relativamente bom, registrado, certinho. Quando iniciei muita gente vinha com esse discurso de “ah, como você é bobinha, trabalhando quase de graça”... A bobinha aqui estudou, se esforçou e, hoje, algumas dessas pessoas que tanto deram apoio moral [/ironia] querem, vulgarmente falando, 'sugar dessas tetas' também. Isso muito me enfurece, me chateia.

No entanto, essa história de levar vantagem, lei de Gérson, querer bancar o malandro, espertão, fodalhão rende, é polêmica. Há uma linha tênue que separa o simples “quero o melhor pra mim” da falta de caráter e é aí que a coisa fica complicada. Coloquemos a hipocrisia na sacolinha e pensemos: quem, afinal, não gosta de se dar bem? Quem não quer se satisfazer? É tão bom quando as coisas dão certo, não é? É emocionante ver que você conseguiu aquela vaga de emprego que tanto queria, pois teve vantagem em relação ao seu concorrente. Então, não estamos livres disso. A diferença está no fato de que para “sair na frente” muitas pessoas (MUITAS MESMO) passam por cima de tudo e de todos. O mundo está cheio de sanguessugas que não param um minuto sequer para pensar se o sujeito ao lado tem as contas do mês para pagar e precisa daquela vaga de emprego, enquanto ele quer aquilo por puro e simples status. Complicado.

A ideia de tirar vantagem também pode ser relacionada ao egoísmo. Difícil dizer que alguém em um momento ou outro da vida não se prioriza, passa por cima ou deixa o outro de lado para atingir um objetivo. É natural que isso aconteça, uma vez que as pessoas não gostam de ser prejudicadas. Porém, essa natureza extrapola, vai além do que consideramos ético e no fim temos aquele que sobe ao pódio, mas temos também aquele que sai ferido.

Se pararmos para refletir veremos que tirar vantagem é muito mais comum do que a gente pensa e que tantas vezes isso acontece sem querer. Não, não quero dizer que devemos ter orgulho extremo disso, eu mesmo não sinto. Como ser humano que sou priorizo o altruísmo, mas não nego que sou sim tantas vezes egoísta. Não me desce essa ideia de fazer os outros de escada. E vamos combinar: é muito mais prazeroso lutar pelo que se quer, saber que todo esforço próprio valeu a pena, sem necessariamente tirar da boca do outro, não é mesmo?

Questiono ainda: qual o limite? Deveria haver um dispositivo que avisasse “fulano, você está indo longe demais, se segura, malandro!”. Mas ter um mundo sem malandragem, tentativa de vantagem ou falta de ética é quase impossível. Infelizmente.



@mariaritamm

5 comentários:

Artur César disse...

ai é que ta... por se tratar de animais, vem embutido conosco aquela teoria de Charles Darwin, que ja foi comprovada de 'seleção natural' das especies... da onde somente os mais fortes, os mais flexíveis a se adaptar as situações adversas sobrevivem, "atropelando" ate a mesma especie. Com a maravilha da faculdade de pensar, cria-se estrategias egoístas, não de abrir mão desse extinto natural, mas de usar isso em favor próprio. o auto altruísmo e excelente, agora confiar no altruísmo alheio que já é complicado. Por status muitas pessoas não medem esforços para conquistar!
muito bom post... obrigado !
Artur César =]

Dai disse...

Sobretudo aqui.

As pessoas acham bonito tirar vantagem. Quantas vezes ouvi "achei esse celular na rua - Pq vc liga pra devolver? - achado não é roubado"

É sim. As pessoas se apropriam de muitas coisas que não são delas, daí o tirar vantagem.

Eu erro bastante, mas justamente por reconhecer certos erros que ainda não consigo desvencilhar que me agarro em ser correta em outras áreas...rs

Meio confuso isso... :P

beijo e mais uma vez, obrigada por fazer parte da nossa equipe hoje!

Maria Rita disse...

Obrigada, Dai, obrigada, Artur... É mesmo complicado pensar que por mais que sejamos bonzinhos, que pensemos no que é melhor pra 'todos' de uma forma mais geral, nem sempre o outro tem essa visão, né. Aliás, quase nunca tem. Na verdade isso é muito triste e justifica tantas coisas ruins que acontecem o tempo todo, em tantos lugares... =/

Artur César disse...

mas essa é uma coisa que também não podemos nos "engessar" esperar sempre o pior dos outros, por mais que pareça bem mais viável, mais garantido, mas acaba nos tornando um pouco mais amargos, com o passar dos anos.Eu acredito que o negocio é ter um equilíbrio, aprender a ler o próximo, e observar, observar sempre!

Ana B. disse...

O melhor trecho: Há uma linha tênue que separa o simples “quero o melhor pra mim” da falta de caráter e é aí que a coisa fica complicada


Acho que é a integridade da pessoa que vai definir de que se trata... Não é errado crescer/ganhar por mérito, mas é errado fazê-lo às custas dos outros, do esforço alheio, da força alheia.