segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Chuta que é macumba



A vida nos prega peças, isso é um fato que eu venho aprendendo a cada dia. E não adianta ensaiar a conversa, não adianta treinar no espelho a cara de diva, a cara de “hoje eu estou melhor”, não adianta pensar na roupa ou o tipo de cruzada na perna fatal que você dará. A vida não marca hora, não dá dica e não manda carta, mas sabemos: em uma encruzilhada por aí, os caminhos irão se encontrar.

Sabe aquele momento em que você não sabe o que dizer, fazer e agir? Pra mim, essa é a tal da encruzilhada. Então ela chega, toda inusitada, de batom vermelho, trabalhada na maldade e te exigindo e rápido uma resposta, uma decisão. E digo mais, é um momento mais do que necessário. Às vezes a gente empaca a vida esperando por algo, empaca a vida feito burro velho por não saber o que fazer e então a gente enrola, engana, mente e foge. Mas quando os caminhos se encontram, ali, cara a cara, não tem jeito. A verdade vem, a indecisão some e a sua vida anda. Um ponto final é dado.

São nas encruzilhadas que são colocados os feitiços, são nas encruzilhadas que devemos escolher um caminho por onde seguir e é também na encruzilhada que paramos, devemos parar e então dar um passo, olhe para os todos os lados e passe.

Então por favor, não tenha medo. A hora vai chegar, é fundamental. Olhe nos olhos, seja firme e não recue jamais. Não precisamos ter medo do encontramos por aí, precisamos é de coragem e de pulso firme. Não há nada que não possamos resolver ou caminho que não possamos passar.

2 comentários:

Elaine disse...

Isso mesmo Nara, não há caminhos que não possamos passar", até pq o "batom vermei cai meió in nois", hihihi...

Ótimo texto!

Ana B. disse...

Pensando dessa forma, as encruzilhadas são ótimas.

Mas acho que só qdo a indecisão fica pra trás, mesmo. Pq qdo a pessoa fica questionando como seria se tivesse tomado o caminho que n tomou, aí é um saco!

Gostei da participação especial! =)