segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Se ela conseguiu, por que não eu?


Estou de volta e morrendo de saudades! =)

Mas vamos ao tema: Inveja.

Eu tinha uma professora no colegial que certo dia quis nos ensinar o que era inveja. E ela deu o exemplo dessa tal “inveja santa” que a Ana citou. Disse que muitas vezes, desejamos ter o que o outro tem, mas sem maldade, o que torna a tal inveja “aceitável”.

E pra falar a verdade, eu concordo com ela. Acho que a inveja é algo que é natural, instintivo do ser humano. Ninguém planeja ter inveja, simplesmente a sentimos de uma hora pra outra. Porém, isso não quer dizer que sejamos todos maus e desejemos a morte de quem tem o que não temos. Pelo contrário, acho que a inveja controlada pode até ser um incentivo para que a pessoa se esforce mais para talvez chegar a ter o que deseja. Isso, claro, sem nunca prejudicar o possuidor do objeto invejado.

3 comentários:

Elaine disse...

Oi Mari, seja bem-vinda novamente! ;)

Olha, a inveja é um tema muito controverso pra mim... Fico pensando se podemos chamar o desejo positivo de inveja mesmo... Sei lá, mil coisas! rsrs
Enfim, sei lá! rs

Carolina disse...

Ei Mari!!!

:)
E aí, como foi a viagem? Aproveitou bastante??

Eu penso como a Elaine e fico sem saber se podermos atribuir alguma coisa positiva à inveja. Eu ainda não consegui enxergar o lado com...

:)
Beijo.

Dai disse...

Na verdade pra gente aceitar a inveja demos a ela o nome de ambição.

=*