quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Ficar parado também cansa

Tema da semana: encruzilhadas

“Que a estrada se erga ao encontro do seu caminho
Que o vento esteja sempre às suas costas
Que o sol brilhe quente sobre a sua face
Que a chuva caia suave sobre seus campos





O único caminho seguro é o da escolha.

As pessoas podem viver durante muito tempo ao sabor do vento, como se a vida fosse uma linha reta e nada mais. E é por isso que eu gosto de bifurcações, encruzilhadas, uma curvazinha que seja. É nessa hora que a decisão de faz necessária.

Temos sempre a chance de optar, mas muitas vezes vivemos como se não a tivéssemos. Como se o destino estivesse traçado, definido e fechado para nós. E nos permitimos uma vida insossa porque afinal de contas, essa é a rota que nos foi dada.

Joga o mapa fora, menina!

Seguir passos alheios, em linha ainda, é muito chato. Arrisca o teu passo, faz o teu caminho, se orgulha do tropeço. Não, não é fácil. Nada como sentar numa pedra e ficar vendo o nada passar, mas acontece que a gente não pode fazer da passividade uma opção (obs.: Dai, tomar nota). Se errar é ruim, errar pela inércia é ainda pior.

Bora pegar os tênis de caminhada e escolher um caminho?



4 comentários:

Elaine disse...

Hum, legal, vou alí pegar meu tênis!

:)

Alline disse...

Dai... oi! ;)
Inércia me dá agonia, se ficar parada vou embolorar... vamos, vamos... andando, pra frente. =D

Beeeeeeeeeijo

Carolina disse...

Seguir o caminho e curtir o caminho... Às vezes ele pode ser tão (ou mais) interessante quanto a chegada. A gente esquece disso, né?

Ana B. disse...

Gostei do texto, mas posso confessar que gostei mais do título?

Ficar parado cansa mesmo!