quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Cíclico

3 comentários:

Carolina disse...

Muito difícil compreender quando se deve arriscar, sem se preocupar com os limites. Acho bom sempre se lembrar de que limites não se tratam apenas de máximos, mas também de mínimos.

Elaine disse...

Menina ousada você! ;)

Frau Forster disse...

Adorei - como sempre =)

Seus versos me soam claramente como um

TCHIBUM

Beijos