quinta-feira, 22 de julho de 2010

Felicidade Instantânea

“Tristeza não tem fim, felicidade sim...” Sabe aqueles dias que o Tom e Vinicius ficam cantarolando essa música na nossa cabeça, quando respirar dói e até a propaganda de sabão em pó faz a gente chorar? Nesses momentos quando os olhos estão marejados, a felicidade se torna o substantivo mais abstrato e distante que possa existir no universo e pensamos que nada vai nos tirar do poço. Até que começa a tocar uma canção distante no radio ou recebemos um SMS, pode ser um bilhete encontrado no fundo da gaveta ou alguém especial que apareceu de surpresa em nossa porta... Coisas que nos fazem sorrir, assim sem mais nem menos, muitas vezes em meio às lágrimas de angústia, elas se tornam o nosso fio condutor de felicidade. A essas coisas dou o nome de “pílulas de felicidade instantâneas”. E são essas “pílulas” que nos fazem seguir em frente, que nos dão o gás e renovam os ânimos para enfrentar mais uma segunda-feira difícil, um fim de semana de solidão ou mesmo para superar aquele pé na bunda. Até podem não resolver nossos problemas ou combater a causa de nossas tristezas, mas lembrar de momentos felizes já vividos, mesmo que seja por um segundo, faz a cândida felicidade de outros tempos invadir a alma e nos dar esperança suficiente para seguir em frente. Talvez, a felicidade seja assim mesmo, como Vinícius já cantava, findável. E a tristeza, como seu perfeito oposto, interminável. Como tudo o que é findável, dá espaço ao novo, não nos preocupemos com esses fatos! Pois isso não nos impede encontrar a tal da felicidade ao virar a próxima esquina dos sentimentos e renová-la todo o dia com nossas próprias “pílulas”. Hoje a minha pílula foi uma música, também da dupla Tom e Vinicius (daí a inspiração). E vocês, meus queridos, alguma receita infalível? Beijos e até semana que vem, Cah*

5 comentários:

Nara disse...

Também tenho lá minhas pílulas...

Acho que estou viciada o.O

Beijo,
Nara

Dai disse...

Eu até tenho minhas pilulazinhas, mas essas eu não posso pegar, ganho.

É só ouvir uma música boa, um texto legal e um filme interessante. Mas não tem receita, porque mesmo aquela banda que te anima nem sempre funciona instanteneamente.

beijos

Ana B. disse...

que bacana!

na verdade, eu andei tomando placebo, achando que eram pílulas de felicidade!

mas aí o vidro do placebo se quebrou, me cortei com ele e só então percebi do que se tratava

agora voltei às pílulas, mas tá vendo como ainda estou meio tan tan?

enfim, estarei mais atenta da próxima vez! pq é preciso que as pílulas provenham da fonte certa!

Ana B. disse...

que bacana!

na verdade, eu andei tomando placebo, achando que eram pílulas de felicidade!

mas aí o vidro do placebo se quebrou, me cortei com ele e só então percebi do que se tratava

agora voltei às pílulas, mas tá vendo como ainda estou meio tan tan?

enfim, estarei mais atenta da próxima vez! pq é preciso que as pílulas provenham da fonte certa!

Daniel Savio disse...

Engraçado que mesmo sendo pikukas tão baratas, por que demoramos tanto para ministra-las em que amamos?

Fique com Deus, menina Cah.
Um abraço.