segunda-feira, 12 de julho de 2010

Da Vinci, o grande polímata

Um gênio é uma pessoa com uma capacidade mental de assimilação e criatividade além do comum, sendo habilidoso em muitas áreas mentais. Assim, um gênio é capaz de produzir e criar coisas inimagináveis, originais e que surpreendem as pessoas ao longo do tempo. Por isso um dos gênios que mais admiro é Leonardo da Vinci que era um grande polímata, ou seja, exímio cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico (ufa! Fiquei até sem fôlego!) Primeiramente, a fama de Leonardo era a de um grande pintor e suas pinturas eram, e ainda são famosíssimas devido aos seus conhecimentos de botânica, anatomia, luz e geologia fazendo com que suas obras retratem de forma quase que real as expressões e ambientes, que hoje podem ser vistos nos famosíssimos quadros de Mona Lisa e A Última Ceia. Além disso, Leonardo da Vinci possuía cadernos com anotações sobre tudo, desde lista de compras até desenhos de projetos e anatomia. Suas anotações eram, em grande parte, escritas de forma invertida. Entre elas pode-se encontrar o famoso desenho do Homem Vitruviano, desenhos arquitetônicos, esboços de suas obras, seus projetos (entre eles suas máquinas voadoras e sapatos para andar sobre a água), além de suas análises da anatomia (esqueletos, músculos, órgãos internos, sistema vascular, entre outros). Todas suas obras e projetos juntavam todas as habilidades que possuía, criando obras que até hoje são citadas e se encontram entre as mais reproduzidas e parodiadas do mundo. Da Vinci foi capaz também de “visualizar o futuro”, desenhando projetos de helicópteros, calculadoras e o uso da energia solar. Idéias essas que vieram a ser desenvolvidas e se mostraram um sucesso centenas de anos depois. É essa habilidade de Leonardo da Vinci de ser um visionário e produzir obras atemporais que faz com seja reconhecido como um dos maiores gênios do mundo. Ah... E é verdade, só porque esta semana vamos falar sobre gênios, me senti atraída pelo famoso teste de QI, e descobri que o QI de uma pessoa normal gira em torno de 90 a 109 e o de um gênio é, em média, maior que 140. Estudos calcularam que o QI de Leonardo da Vince era de, aproximadamente, 180! Impressionante não?

5 comentários:

Dai disse...

É lógico que é impressionante, e minha dor de cotovelo aumenta ainda mais...

C O M O P O D E T E R G E N T E A S S I M?

=/

E eu, malemá me lembrando da regra de três =/

Queria comentar mais, mas vou ali chorar no meu cantinho

depressão#

beijo

obs.: Ótima escolha e texto!

jefhcardoso disse...

Sem palavras para Leonardo da Vince, você o expôs muito bem.
Jefhcardoso do
http//:jefhcardoso.blogspot.com

Geisa disse...

Ainda bem que surgem essas pessoas maravilhosas para darem novas perspectivas para todos nós, pessoas comuns!!! Nos proporcionam momentos de admiração, bom espanto e felicidade!!

Ana B. disse...

é...

essa coisa de gênios reais me parece tão ficção científica.

mas é mto gostosa de ler

=]

Chen disse...

Dai,
Sim é de dar inveja não? Hehehe mas fazer o que nos resta meros mortais é nos conformarmos e apreciarmos as maravilhosas obras destes gênios.
Beijos!
_______

Jefhcardoso,
Ah que bom que gostou, falar de suas obras e invenções é super fácil. Dá vontade de continuar falando e comentando, tem tanta coisa interessante! Realmente ele fazia de tudo! Hehehhe
Beijos!
__________

Geisa,
Sim sim e pensar que ele já imaginava o helicóptero naquela época, realmente um visionário!
Beijos!
_____________

Ana B.,
Mas parece mesmo impossível que exista alguém capaz de pensar em tantas coisas revolucionárias.
Beijos!