domingo, 6 de novembro de 2011

Eu garanto.


Tema da semana: Perto e distante, Tiê . (música)

“Quem garante
Que o que você é
É o que o outro espera de você?
(...)
Quem garante
Que seguindo adiante eu possa enfim viver?
Sem me comparar
Sem me entristecer
Sem tentar mudar
Sem poder entender
(...)
Quem garante
Que o que você é
É o que o outro enxerga?”



Eu garanto, não sou o que o outro, ou os outros, esperam de mim. E não sou também o que eu espero de mim. Sou só uma pessoa perdida em um labirinto do qual não consegue sair... E nós sabemos, é esperado mais que isso das pessoas, é esperado que tenham algum senso de direção, principalmente quanto à própria vida, aos próprios sentimentos..

E se eu conseguir sair desse labirinto, eu garanto que não vou partir pra uma vida diferente, não vou “enfim viver” , principalmente se isso implica em seguir um caminho de maneira leve, sem muitos devaneios, sem muitas paranóias, sem muitos questionamentos, pois provavelmente entrarei em um novo labirinto . Não consigo evitar, sempre vou comparar o que eu sou com o que eu poderia ser, caso não fosse tão fraca. Vou sempre me entristecer pela minha fraqueza, sempre tentar mudar... E, infelizmente, não vou entender porque não consigo nem mudar, nem me conformar. Eu devia conseguir fazer pelo menos um dos dois.

Por fim, também garanto, não sou o que os outros enxergam. Mas não importa... Afinal, quero ser vista?

3 comentários:

Elaine disse...

Eu tenho essa coisa de querer ser invisível!

Carolina disse...

Ana, esse é o texto seu que mais gostei. O que senti que você se abriu completamente.

E sabe, acho que estamos todos nesse labirinto. Uma hora a gente a algum lugar. Ou não.

Um beijo!
:)

Mari disse...

E quem é que não tem seu próprio labirinto? =/