quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Arrependimento, eu não acredito em você


Qual é o tempo para o arrependimento? Logo depois que se reconhece o erro? Muito tempo depois? Não há tempo desde que venha?

Não acredito em arrependimento por simples força de caráter. As pessoas se arrependem quando aquilo que estavam fazendo não dá certo ou não dá MAIS certo como esperavam. O arrependimento não é, então, essa amostra de retidão, de ética ou qualquer coisa assim, o arrependimento nada mais é que uma mudança de estratégia. O choquezinho que faz um rato mudar de direção na gaiola do laboratório. Nada mais.

As pessoas costumam distinguir remorso de arrependimento. O remorso seria quando você percebe que errou mas não muda de atitude. O arrependimento seria quando se reconhece o erro e aí muda de atitude. O cristianismo, por exemplo, tem como pressuposto o arrependimento dos pecados e não o remorso deles. Bem, mas deixamos o cristianismo para lá.

Em vias práticas, o remorso é aquela ressaca no dia posterior e o arrependimento é aquele enjôo que vem toda vez que você vai tomar aquela bebida que te deixou MUITO mal certa vez e você não consegue mais beber aquela determinada bebida.

Não faço distinção entre um e outro. A diferença pra mim entre os dois é que no remorso a coisa está te fazendo bem, mas não é tão ruim ao ponto de você mudar, e no arrependimento aquilo já não te traz mais lucro de nenhuma espécie. E só.

Remorso é quando a mudança seria a melhor opção. Arrependimento é quando a mudança se faz necessária para o SEU próprio bem.

3 comentários:

Lucão disse...

Boa a diferenciação. Clara.

Então, se arrependimento matasse, não existiria mudanças rsrs
beijo doce!

Ana B. disse...

sabia que há remorso sem mudança? e sem arrependimento? rs

Elaine disse...

E quando é para o bem do outro?! Acho que também acontece!