terça-feira, 21 de setembro de 2010

Eu repito, Tu repetes, Ele repete...

Uma mulher casa com um homem esperando que ele vá mudar, mas em geral ele não muda. Um homem casa com uma mulher esperando que ela não vá mudar, mas em geral ela muda.” "Por trás de um grande homem, há sempre uma grande mulher".
"Os homens distinguem-se pelo que fazem, as mulheres pelo que levam os homens a fazer".Carlos Drummond de Andrade Relacionamento é troca de tese, antítese, síntese. A ideia de passividade do homem frente ao mundo, de sua dureza, inflexibilidade e da maestria feminina é antiga, e também, é bem estranha. Relacionamentos despertam, constantemente, um movimento de elaboração e de reelaboração das coisas e do mundo. Eles podem construir ou destruir, melhorar ou piorar. E isso vale para o homem e para a mulher. Pense você, agora, em seus relacionamentos anteriores e atuais... pense também, nos diferentes momentos de seus relacionamentos... Acredito que vá se lembrar de fases complicadas, ciclos difíceis, e também de épocas de alegria e felicidade, que vêm claros à mente, como se fossem preenchidos de luz! Tudo isso é movimento! E o movimento interno, em uma relação, é constante e impressionante! Até quando alguém se paralisa, se fecha à mudança, se recusa a crescer, há, nessa posição, um intrigante e constante movimento interno. E é nesse sentido que discordo de máximas como: “por trás de um grande homem, há sempre uma grande mulher!”, “homem não muda” e outras desse tipo. A pessoa mais bem intencionada do mundo pode “dar com os burros n’água” ao tentar que seu parceiro cresça com a relação. Mas, tem pessoas que, em algumas relações, se predispõem a aprender com o mínimo estímulo: em nome do amor (por si mesmo e pelo outro), do bem e da alegria. E essa pessoa pode ser homem ou mulher! Acho que já está mais do que na hora de revermos esse tipo de conceito e de pararmos de divulgá-lo repetidamente sem qualquer questionamento ou razão. Existem grandes homens que não tiveram grandes mulheres para lhes darem apoio ou o que quer que seja. E o inverso também ocorreu: a História está aí para contar!
E você? Repete?

4 comentários:

Daniel Savio disse...

Acho que estou mais para repetir, mesmo quando não estou namorando, só me motivo se tiver alguma recompensa, ou alguém em ajudando a ir adiante...

Bom post para refletir.

Fique com Deus, menina Geisa.
Um abraço.

Dai disse...

Ahhh, eu às vezes repito, né? Como vc sabe muitas vezes sou extremista, coloco tudo no mesmo saco pra melhor me adaptar...rs

Mas concordo, nos dias atuais pode-se dizer inclusive que atrás de um grande homem há outro grande homem...rs (e mulher tb!)

=**

edna disse...

Acredito que é através dos relacionamentos, que nos descobrimos como individuos e a partir dai começamos a busca pelo melhor caminho, as vezes aos pares e as vezes sozinhos.Dependendo do objetivo que colocamos à nossa frente e do esforço em realiza-lo é que chegamos ao sucesso ou ao fracasso.Bjs, mami

MARIANA disse...

Depois do debate aqui na área, concordo com vc, Geisa!haha
Muito bom o texto! =)
Beijos,
Mari 2