segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Além da primeira impressão.

Como muitos dizem: A primeira impressão é a que fica, mas nem sempre somos capazes de passar uma primeira impressão correta ou que agrade a alguém. Por isso, muitas pessoas têm investido muito na aparência, comprando roupas de marca e se matando na academia para ficar com um corpão, mas esquecem de trabalhar o que há por dentro. Muitos hoje são capazes de conversar horas a fim sobre a novela das nove, mas não conseguem se expressar quando o assunto é política, literatura e por aí vai. Hoje, se não seguimos certa tendência ou um estilo de algum grupo específico, podemos causar uma má impressão não tendo chance de nos enturmar por não termos a chance de mostrar mais sobre nós do que aquela primeira impressão. Muitos de nós já nos deixamos levar pela primeira impressão também, deixando de conhecer e criar uma amizade com alguém que pode ser muito mais do que os olhos podem ver. Eu mesma já me deixei levar pela primeira impressão que tive sobre alguém e acabei descobrindo que estava errada. Descobri também, que muitas pessoas podem deixar de lado o que realmente são e podem parar de se interessar pelo conteúdo, por acharem que isso não os ajude a fazer novos amigos, criando uma sociedade cada vez mais vazia por dentro, mas com uma bela embalagem. Que tal darmos uma chance a segunda, terceira, ou quarta impressão? A chance de conhecermos melhor as pessoas. Além disso, não deixemos que o que as pessoas pensam primeiramente afete nosso jeito de ser. É a individualidade que faz cada um especial como deve ser.

4 comentários:

Daniel Savio disse...

Mas é dificil agradar a todos, mesmo quando tentamos isto com uma forma ativa, pois acabamos recebemos o apelido de capaixão...

Apesar deste não ser o foco do post, mas depende de como a pessoa realmente nos marcou, pois o problema é que grau a pessoa acabou nos marcando de forma negativa, quanto pior for, mas dificil vai ser a segunda chance.

Fique com Deus, menina Chen.
Um abraço.

Dai disse...

Chen,

antes eu achava que bastava um gesto da pessoa pra eu saber tudo sobre ela, sabe aquele coisa de 'se meu santo não bater...', então, a coisa mais arrogante e imbecil do mundo, nem posso contar mais quantas vezes me enganei. A gente projeta muito, fica imaginando o que as pessoas são por causa de coisas mínimas, um nome de banda que a gente não gosta, por exemplo, e pronto, a gente já exclui da nossa lista de contatos.

Muitas vezes julgamos o outro superficial, mas ao julgar assim, superficial é a gente

beijo

Lucão disse...

Chen, hj, mais do que qualquer dia, acrdito na segunda e nas seguintes impressoes.
As precipitações são perigosas, podem nos machucar bastante.
Mas tudo tb é aprendizagem, non é?
e quem não está aqui pra aprender, está fazendo o que?
rs

:*

Ana B. disse...

Eu sou péssima pra conhecer gente nova... Por isso qdo conheço, prefiro não parar na primeira impressão.
E não é que sou ruim nisso por preconceito das primeiras impressões, mas o primeiro diálogo sempre me parece tão penoso, tão suado, que acabo preferindo meu canto.