domingo, 30 de outubro de 2011

Pros erros há perdão?


Tema da semana: Arrependimento, faz diferença?

Os erros podem ser perdoados, mas acredito que há uma premissa básica para que isso aconteça: o arrependimento.

E por mais que seja doloroso perdoar 490 vezes uma pessoa pelo mesmo erro, acho mais doloroso não ter como perdoar simplesmente porque a pessoa que errou não se arrependeu, não reconheceu o erro, não mudaria nada, mesmo dizendo que te ama e te vendo despedaçada.

Acho que o arrependimento é uma forma de tentar consertar. Ainda que o erro possa voltar a se repetir, ainda que as coisas não sejam realmente consertadas, ainda que a relação vá pro saco (seja um relacionamento amoroso, seja amizade, seja um laço familiar)...

Claro que é difícil saber quando o arrependimento é sincero... Em alguns casos, nem mesmo o arrependido sabe com certeza. São coisas complexas...  Mas das coisas que vivi, das pessoas que conheci, o que posso dizer é que facilmente me desencantei com as pessoas que nunca se arrependem. Então, para mim, sim, o arrependimento faz diferença, para deixar que algo sobreviva, nem que seja apenas uma pequena dose de consideração.

3 comentários:

Elaine disse...

Exato, o arrependimento expressa consideração, e um tanto de humildade pra reconhecer o erro.

Abraço, Ana.

ℓ.mirella disse...

O que não faz diferença é se arrepender e nunca demonstrar isso.

Arrepender e assumir faz toda a diferença, sim.

renatocinema disse...

Essa questão é complicada, difícil e quase impossível de se chegar a um veredito final.


Eu, por exemplo, não acredito muito no arrependimento do ser humano.