terça-feira, 11 de outubro de 2011

"Nadar" é preciso...

Tema da semana: O que um peixe sabe sobre a água na qual nada a vida inteira?
Einstein


 


Sobre a água? Não muito, a menos que possa comparar sua zona de conforto a outras não tão confortáveis... E isso nem sempre se faz apenas com “leituras” distantes de outros mundos, há que, vez por outra, ousar-se numa aventura in locu...

Se não houvesse na história aquele peixinho "disposto" à experiência, que peixinho de água doce, por exemplo, saberia o seu fim em água salgada?

Tragédias a parte (sim, pois é sofrido o fim do peixinho de água doce em água salgada, e vice-versa), conhecer é sempre libertador, e emocionante também, né?!

4 comentários:

renatocinema disse...

Essa história me lembrou o mito da caverna.

Será que o ser "humano" está preparado para realmente conhecer água salgada?

Acho que não.

Carolina disse...

Bem lembrado o mito da caverna, Renato!

Elaine, adorei essa hisória da água salgada. Conhecmento é mesmo libertador e experiências são sempre muito valiosas...

:)

Adorei!

Elaine disse...

Oi, gente, pela contribuição nos comentários!

E, Renato, eu vejo que o ser humano costuma ser "departamentalizado" na vida, ou ele é considerado "de água doce", ou "de água salgada", ou "ornamentais", ou "pra fotos", ou "pro prato"...

Mas será que podemos ser limitados dessa maneira mesmo? Não podemos ser um pouco de cada, ou um bocado de um e um tandinho de outros?...

Enfim, eu viajo, às vezes... rsrs

Eu só acho que, como Homens, somos mais "aptos" às necessárias adaptações às águas que nos banham ou nos banharão...

Abraço, Carol e Renato. ;)

Elaine disse...

Ops! Engoli o obrigada rs...

Então, OBRIGADA, gente! :)