sábado, 15 de outubro de 2011

Antes pouco do que nada


Tema da semana: "O que um peixe sabe sobre a água na qual nada a vida inteira?"
(Einstein)

Não, o peixe não sabe. Não totalmente. Ele simplesmente acha que sabe. Vamos colocar o peixe como  nós mesmos. Achamos que sabemos da vida, que sabemos viver, que somos inteligentes e espertos. Mas nem todo conhecimento de mundo (ou de água) nos torna PHDs em matéria de vida. Por mais que se adquira experiências, vivências, por mais que se deixe pra trás aquela visão de mundo estreitinha, que tentemos ir além do laguinho no qual nadamos, sempre vamos errar e sempre teremos algo a aprender. 
Portanto, é melhor sabermos pelo menos um pouquinho da água na qual nadamos (ou o peixe nada) para que as coisas não piorem, para que as bordoadas sejam menores - menos dolorosas, talvez - e para que cada um não seja simplesmente levado pela correnteza ou acabe se sentindo fora d'água. Importante lembrar que o peixe fora d'água começa a apodrecer pela cabeça e eu, pelo menos, não quero isso pra mim. 

2 comentários:

renatocinema disse...

Eu também não....mas, é complicado e ousado, de certo ponto, nos sentirmos um peixe fora d'agua.

Mas, qual a graça de ser apenas mais um peixe de cabeça apodrecendo???nenhum.

Bixudipé disse...

Excelente reflexão!

Abração,

Rodrigo Davel