segunda-feira, 16 de maio de 2011

E se...

O tema dessa semana é: "O destino baralha as cartas, e nós jogamos"

Acredito em destino, sim. Acredito que algumas pessoas são colocadas em nossas vidas, que somos colocados em lugares específicos, que passamos por situações inesperadas, tudo por um propósito que desconhecemos, mas que existe.

Apesar disso, não acredito que o destino possa definir nossas vidas. Ele não nos é imposto; podemos escolher entre aceitá-lo ou não.

Já tive situações em que todas as combinações de circunstâncias me pareceram tão exatas, que simplesmente decidi “deixar o destino agir”. Aí foi que ocorreu o erro. O destino nos dá apenas as oportunidades; nós é que devemos agarrá-las e fazermos o que quisermos delas. Não devemos ser preguiçosos a ponto de pensar que o destino fará tudo por nós e arrumará toda a nossa vida como deve ser, senão essas oportunidades serão desperdiçadas.

Portanto, nada de pensar muito no “e se...”. Devemos decidir o que queremos da vida e fazer nossas escolhas, deixando o destino agir em paralelo.

8 comentários:

Carolina disse...

Concordo com tudo, Mari!

Também não sou fã dessa expressão "e se...". O destino tem sim seu papel em nossas vidas, mas nós somos os personagens principais, não é mesmo?

disse...

Por isso é importante tomar as melhores decisões, ainda que não se concretizem.
No mínimo, o peso do arrependimento vai ser mais leve

Rossana disse...

Viver de ' e se...' é uma das piores coisas que alguém pode fazer consigo mesmo.
E como tem gente assim, 'preguiçosa', que crê que somente o destino deve agir.
É aquela velha história se não damos um rumo, o trem da vida vem e passa por cima da gente sem dó nem piedade.
Muito bom o texto!
Bj =)

Nara disse...

Se o destino existe e se ele modela nossas vidas, nesse exato momento ele está RINDO HORRORES de mim. ¬¬'

É, nós temos as escolhas, o destino tá lá, observando e esperando nos dar a "resposta" do caminho que nós escolhemos seguir. É assim que vejo.

Beijo

Frau Forster disse...

O segredo é meter aa caras. Para mim, a omissão, o "não-fazer-nada" é um pecado capital cujo preço é altíssimo. Bjos.

Ana B. disse...

Eu sei que é uma combinação de fatores que sempre me atrapalham, kkkk.

Se for hr de esperar, pode ter ctz q eu corro atrás, e vice-versa.. kkkk

hora errada é cmg mesmo!

Dai disse...

Por mais incoerente que isso possa ser, acho bem "broxante" as pessoas ficarem sentadas esperando a vida passar.

Como disse o Gustavo no meu texto: bora correr!

beijo

Elaine disse...

Oi Mari, tbm acho que pensar no "e se..." não ajuda, muito pelo contrário, só traz mais dúvida sobre o que escolhemos.