quarta-feira, 4 de maio de 2011

Cabeleireiras e manicures

Essa semana, escrevi no Baú um caso ambientado em um salão de beleza. E quem nunca frequentou um? Seja barbearia ou hair style, a verdade é que a maioria de nós  sentou em uma cadeira colorida em frente a um espelho grandão. Cabeleireiras e manicures não são profissões muito reconhecidas por aí, não existe faculdade para isso, só cursos profissionalizantes. Até bem pouco tempo a profissão de cabeleireira nem era reconhecida como tal. Sem contar todo um preconceito que existia e ainda existe em relação a essas profissionais e ESSES profissionais.

Pessoas que trabalham em salão trabalham para que você vá bem para sua balada. Trabalham no sábado até as 22h00 enquanto a maioria nem trabalha ou trabalha meio período. No fim de ano há salões que seguem seu expediente até a meia-noite, para atender a demanda das clientes natalinas (só aparecem uma vez por ano pra tentar impressionar a família na ceia).

Sem contar que o salão de beleza é quase um consultório. As mulheres lavam a alma lá. Conversam, discutem, riem e choram. As mulheres revolucionam lá. Quantas vezes vi uma loira chegar com o cabelo na cintura e sair de lá morena e com as orelhas descobertas? Há as pequenas superaçõezinhas, aquela mulher que a vida toda só passou esmalte rosinha transparente resolve esmaltar com uma cor vermelho vibrante.
Tem manicures que sabem mais da vida de uma pessoa que a própria família. Elas aconselham, cuidam e guardam segredos (pelo menos até a próxima cliente para quem contará um tico do que houve com a cliente anterior, se for indiscreta).

Garanto que muita gente gasta o tempo livre muito mais em um salão que com a família.

Eu sou suspeita para falar sobre “as profissionais da beleza”, sou muito simpática a elas.  ;)

7 comentários:

Amapola disse...

Bom dia.

Adorei o texto. São profissionais que merecem mesmo, essa homenagem que você fez.

Salão é um ambiente muito gostoso e a gente nem sente a hora passar.

Um grande abraço.
Maria Auxiliadora (Amapola)

Estou lhe seguindo.

Elaine disse...

Oi Dai, sempre me solidarizei com os profissionais da beleza, especialmente em seus horários e datas comemorativas... Haja fôlego deles!

Atitude do pensar disse...

Infelizmente, vou ao salão de beleza bem menos do que gostaria. Mas reconheço que é um trabalho que merece um maior reconhecimento, além de tanatas horas trabalhadas por dia, esses profissionais sofrem (pré) conceitos e deveriam ser reconhecidos enquanto psicologos, uma vez que são obrigados aouvir problema se ainda dar conselhos.

Carolina disse...

Amo salão de beleza! Adoraria ir mais vezes. Tô quase virando uma cliente natalina... rsrs

E adoro todas os profissionais de beleza, que nos deixam mais belas, mais confiantes, mais relaxadas...

:)

disse...

Lembrei do meu cabeleireiro, que se define como "eu sou Sérgio, cabeleireiro e homem.
Beijo Dai :D

Ana B. disse...

sabe, eu gosto mto da minha cabeleireira e da minha manicure, mas mais da cabeleireira

fico pensando que ela tem que ter uma paciência de jó pra aguentar td que se passa no salão

=)

Daniel Savio disse...

Temos de quebrar mutios destes preconceitos, pois ainda tem muita profissões que simplesmente jogado para baixo do tapete (como os garis)...

Fique com Deus, menina Maya.
Um abraço.