segunda-feira, 4 de abril de 2011

"A memória do povo é curta"

Quantas vezes não escutamos a velha frase “a memória do povo é curta”?
Infelizmente, parece que a memória de algumas pessoas no cenário político brasileiro, realmente, tende a não perdurar. Quantos casos absurdos de corrupção, extorsão, desvios de dinheiro e por aí vai que não escutamos todos os dias, e que, algum tempo depois, as mesmas pessoas envolvidas em tais casos são eleitas e re-eleitas pela população?
Talvez esse nem seja tanto um caso de memória, mas sim de cega lealdade. Cega lealdade por aquele político que asfaltou seu bairro (mesmo que com um orçamento superavaliado), por aquele engraçado palhaço, por aquele cantor que você tanto gosta, por aquele astro de cinema, por aquele seu amigo que arranjou um emprego pra sua irmã, por aquele cara que cada vez que é eleito faz grandes festas em sua cidade.
Agora, falando sério, é nisso que as pessoas se baseiam pra escolher o futuro do seu país, estado e cidade? Desculpem-me, mas qualquer pessoa que vote por alguma das razões acima, me enoja! A política não deveria evoluir a partir de conceitos podres como esses. Ela é, ou pelo menos deveria ser, uma maneira de organizar e melhorar as coisas, baseada no bem COLETIVO. Não deveria servir como palco de encenações, truques, farsas e, muito menos, como um meio de se auto-beneficiar.
Espero que em um futuro próximo, as pessoas comecem a raciocinar melhor ao escolher seus representantes, esquecendo-se apenas dessa tal lealdade.

5 comentários:

Carolina disse...

Na verdade, acho que uma grande maioria da população nem tem memória pra essas coisas. Porque infelizmente, o povo ainda não se importa como deveria com política. A ignorância diante do tema é muuuito grande.

Beijos!
:)

Dai disse...

A memória do povo é curtissíma. Quando algo errado aparece, todo mundo se pergunta como um cara "desses" foi parar lá. Ué, alguém (muitos) teve que votar, não é?

Tomare que algum dia mude.

beijo

Elaine disse...

Percebo que na verdade a maioria ignora os (maus) atos de seus "representantes", pq pouco importa, é mais interessante final de BBB ou campeonato de futebol, essa escalação sim é inesquecível... É a velha história "rouba mas faz", mesmo sem entender que os roubados são os próprios "leais".

Atitude do pensar disse...

Sinto até ojeriza quando lembro de coisas, como: O jeitinho brasileiro; a memória do brasileiro.
Sim. A memória é curta.
Em uma análise mais profunda devemos avaliar o tipo de colonização, o evento da industrialização em nosso país. A participação popular na política e em tudo que diz respeito aos seus direitos. No entanto, temos que ir além.
Pois se nossa memória é curta, isso vem desde a colonização. Pois não fomos instruidos a pensar. A questionar.
Quantos são aqueles que lembram - pensando criticamente - dos negros escravos, da ditadura, da inflação do final da década de 80, e de tantos outros momentos históricos.
No entanto, isto, em parte, não é apenas culpa nossa. Mas da forma que a educação brasileira trata essa questão...

Mari disse...

Meninas, esses comentários complementam tudo o que quis expressar nesse texto. Obrigada! =)