quarta-feira, 4 de abril de 2012

Quem gosta de amargo é fígado

Tema: E disse um mentiroso: prefiro uma amarga verdade a uma doce mentira.


Posso escolher nem um dos dois? Prefiro a maturidade de entender as coisas como elas são, a verdade não deveria ser amarga, o problema não é a verdade. A verdade ou a mentira são trecos que não têm gosto, então não me venha com essa de amarga mentira ou doce verdade, o que é amargo é o gosto na boca de não ser correspondido na expectativa, o fato em si, independente de ser verdade ou mentira. É a sinestesia trabalhando no corpo falando: não é bem assim como você achava, lindezinha.


Eu nem sempre prefiro a verdade, não porque eu não a suporte, mas porque muitas vezes a pessoa que vai dizer a verdade não suporta o fato de eu aceitar essa verdade, acaba sendo amargo para ela, não para mim. Então, a curto prazo, para um benefício mútuo, eu prefiro uma mentirinha sim, porque infligir ao outro um fardo que ele não possa suportar? Mas para relacionamentos, de todos os tipos, eu prefiro ter por perto pessoas que suportem a verdade, e daí mesmo ela sendo ruim, não vai precisar ser amarga, vai ser rodrigueana apenas: a vida como ela é.



3 comentários:

Madame disse...

Matou a pau ein, adorei!

Nara disse...

Tô com você em cada linha desse texto cheio de verdade.

cintia disse...

É a mais pura verdade nega!