domingo, 22 de abril de 2012

“Perde espaço pro desejo de acertar.”


Tema: Inalcançável você – Leo Cavalcanti

Eu não sou especialista em amor, não mesmo. Contudo, uma coisa que aprendi pela observação, é que amar é uma coisa muito complicada. Apesar de uma das definições mais famosas, que por sinal é bíblica, dizer que o amor tudo suporta, não é isso que eu vejo por aí. Aparentemente, o amor é uma coisa que tem mais chances de dar errado, do que de dar certo.

Pegue um grupo de 10 amigos seus, e questione sobre a vida amorosa deles... O amor não dá certo porque a outra parte se mudou, ou porque ela fumava, ou por causa da sogra, ou devido a diferença de classe social... Pode ser também porque o cara não quer casar, porque a moça prefere animais de estimação a filhos, porque o cara não paga as contas da casa....

São muitos motivos que levam a uma coisa só: o fim. E isso acontece porque nem sempre o amor tudo suporta. E você pode até me dizer que no caso, não era amor. Pode ser que não... Mas as vezes é, e mesmo assim as pessoas desistem, porque amam mais um “estilo de vida” do que uma pessoa... Elas sonham uma vida pra si, e as vezes amam uma pessoa, mas a pessoa não se encaixa naquele sonho que elas tiveram, então elas consideram que não era amor.

É tanta vontade de ter a vida certinha, ou de “acertar” a pessoa dentro daquele papel, que os sentimentos envolvidos se tornam secundários. As pessoas que não querem casar, ter filhos, e viver aquela vida do sonho padrão, também amam. Meninos mimados também amam, filhos de sogras chatas também amam, pessoas que não tem instinto maternal, também amam... E são amáveis também.

A questão é, você deixou de amar a pessoa, ou você deixou a pessoa porque ela não se encaixou no seu sonho? E quão covarde você é, por ser capaz de abdicar um sentimento porque não consegue tentar a vida de uma outra forma? Onde está a capacidade de repensar? De tentar fazer dar certo? Enfim... Não estou defendendo o amor, nem culpando. Só acho que a maioria das pessoas românticas que vejo por aí, não amam pessoas, amam um plano de vida, que muitas vezes, se parece com os planos infalíveis do cebolinha... De repente o amor existe, mas ele não é perfeito e não se encaixa no seu plano, porque a pessoa que você ama, faz coisas idiotas... Mas ainda assim, continua sendo a pessoa que você ama.



  

2 comentários:

Carolina disse...

Pois é... é covarde aquele que abdica de um "amor" para investir no que sonhou pra si. Mas não seria corajoso demais aquele que abdica de um sonho pra viver um amor?

Esse trem é complicado!

Adorei a abordagem!
:)

Érica Verônica disse...

Amar por si, é muito complicado. Quando se inicia um relacionamento, o amor minimiza os defeitos, mas o tempo sempre realça outros graves, que cada vez mais se passa o tempo, mas graves se tornam. Como já disse alguém, em algum lugar: "Amar é tornar os defeitos de alguém, detalhes interessantes.."

Muito bom texto. Parabéns!