sexta-feira, 3 de junho de 2011

Tira o olho do meu prato!

Me alimento relativamente bem, mas morro de preguiça de fazer exercícios. Entretanto, sempre topo uma boa caminhada (amo caminhar!) e comecei até a fazer minhas almejadas aulas de dança - que ficaram para mais tarde quando tive que começar a trabalhar à noite. Mas espero retomá-las em breve.

Acho que equilíbrio é a chave quando estamos falando de uma vida saudável. Eu durmo pouco, carrego peso e não faço atividades físicas, então talvez não seja o melhor exemplo de vida saudável. Mas eu vou falar do que eu sei, do que tenho visto e sentido.

Estive a um passo de me tornar anoréxica - por mais de uma vez -, mesmo sempre tendo sido magra. Depois tomei jeito e passei a comer o que me dá vontade. E o que me assusta cada vez mais é como os outros se incomodam com o meu peso quando eu mesma não me importo.

Ultimamente, tenho ouvido muitas colegas de trabalho dizendo:

- Eu já fui magra como você, olha como eu tô agora?

- Um dia vai chegar a sua vez!

- Deixa você passar dos quarenta...

As pessoas ficam de olho no meu prato, naquilo o que como. Isso realmente incomoda os outros. Não devia, né? Fico sempre na minha, olho e dou um sorriso amarelo - mas me sinto completamente intimidada. Meu tipo físico é pequeno, sou baixinha e miúda mesmo. Talvez engorde mesmo com o passar do tempo, mas por ora meu metabolismo dá conta. E isso é da conta de alguém? Até evito comer na frente de certas pessoas. Já vi como me olham e não gostei. Gostar-se tem muito mais a ver com o que você tem dentro de si do que fora. E tenho pena de quem acha que beleza é ser o que se vê na capa da Nova, Playboy e Cláudia. Beleza não é isso não. Beleza é outra coisa, assunto para outro post.

Não é problema meu se as pessoas não se auto-aceitam e não se gostam. Gosto de mim, mesmo com as imperfeições comuns em qualquer mulher, imperfeições essas das quais não escapo. E, mesmo sendo magra, não é fácil comprar roupas para mim. Aliás, se é difícil para gordinhas e magrinhas comprarem roupa, eu me pergunto para quem as confecções estão fabricando roupa.

Em seu post, a Dai comentou que as pessoas falam que querem perder peso por saúde, mas o fazem na verdade por estética. Acho que isso é a mais pura verdade, salvo algumas exceções. Conheço gordinhas lindas que se aceitam numa boa, sem neuras. Quem põe neura são os outros. Os mesmos que controlam o meu prato e quando gasto no restaurante de comida por quilo.

2 comentários:

Carolina disse...

Eu também detesto esse tipo de coisa! Até prefiro almoçar sozinha, na maioria das vezes.
E como moro com outras pessoas há alguns anos, já passei por constrangimentos desse tipo. Você liga pro tele-sanduíche e a pessoa vem: "nossa, vai comer sanduíche denovo??"

Saco! A comida parece que até perde o gosto.

Dai disse...

É o que eu comentei no meu post com A Nan. As pessoas não permitem as outras se aceitarem. Se você está fora do padrão elas querem que vc se encaixe, mesmo que elas mesmas não estejam no padrão.

Eu já cometi esse erro de ficar reparando nos outros, mas depois percebi que era quase um ressentimento, já que eu tenho que ficar de dieta o tempo todo porque engordo 3 quilos por semana se abusar.

Se a gente cuidasse mais da gente mesmo, não sobraria tanto tempo pra cuidar da vida dos outros.

beijo!