quinta-feira, 16 de junho de 2011

"Os fins justificam os meios"?

Tema: “A sociedade consumista favorece a corrupção”. 
Gherardo Colombo
Se Maquiavel estava certo, eu não sei. E também não sei se ele foi bem interpretado. Mas sem dúvida, essa máxima cai muito bem hoje. E pode servir de desculpa pra muita gente que está mais preocupada com o que vai ganhar no final das contas do que com qualquer outra coisa. Se é pra comprar um carro novo, por que não aceitar uma graninha extra de um esqueminha simples, "limpo", que envolve apenas uma verba que seria destinada a algum hospital de uma cidadezinha do interior que ninguém sabe que existe? Ou, porque não fraudar uma licitação pra poder embolsar um trocado a mais?

Mas isso não é agora, que o consumo virou essa coisa doida que bagunça a vida de todo mundo. Não é porque as Casas Bahia estão vendendo tudo em 10 vezes sem juros, todas as redes de loja te dão um cartão de crédito pra você se encher de dívida comprar à vontade e os juros mais baixos estão facilitando o financiamento de veículos novos. É claro que o consumo nos faz querer coisas que não precisamos. Existe todo um sistema capaz de fazer com que nossa vida seja em função de ter. Comprar cada vez mais. Os produtos, de todos os segmentos - vestuário, informática, decoração, eletrônicos, eletrodomésticos, móveis, cosméticos, etc, se multiplicam nas vitrines das lojas e enchem nossos olhos. Mas não acho que esse fenômeno social possa ser mais forte que uma coisa que já existe há bem mais tempo: falta de caráter.

E pra mim, a falta de caráter é o que favorece a corrupção. Existe a forma honesta de conseguir tudo o que esse mundo consumista nos oferece e que, inevitével e infelizmente, estamos cada vez mais tentados a ter. Mas se por algum motivo você escolhe a forma desonesta, não é culpa da sociedade consumista e todas as suas "armações" pra te seduzir. É culpa da sua falta de caráter!

4 comentários:

Ana B. disse...

É.. falta de caráter.

Mas acho que nem sempre é 8 ou 80, sabe? Bons contra os maus...
Acho que existe gt com caráter intermediário...
Que não são maus, mas que não tem valores sólidos, e por isso acabam indo pro lado das facilidades com as grandes tentações.

Não justifica, não... Mas acho que sempre que há corrupção há um mentor, que muitas vezes é um recrutador, e mta gt que tá no meio termo acaba sendo recrutado, e qdo vê, a besteira tá feita, e já se passou pro lado ruim...

algo assim...

Carolina disse...

Ana,

concordo com você. Não é mesmo 8 ou 80.

Mas não acho que seja o consumo, ou as tentações que façam com que esse cara que tem o caráter intermediário se corrompa. Existe nele mesmo, alguma coisa que facilita a não resistir às tentações e, só do caráter da pessoa ser "intermediário", fica bem fácil ir pro lado B.
Acho que essa falta de caráter é mais decidiva nesse momento do que as tentações do consumo, entende?

Carolina disse...

"decisiva" *

Elaine disse...

Oi Carol, gostei do texto, concordo com seus argumentos. Há meios honestos de se conquistar as coisas, e se o que desejamos está além de nosso alcance financeiro, paciência, nem tudo o que queremos é realmente necessário.
E é muito triste ver como é comum tanta corrupção, como se aquele dinheiro não tivesse destino mais adequado que seu próprio bolso!

Abraço.