domingo, 12 de junho de 2011

E lá se vai a ética...

O mundo está cheio de tentações desde os primórdios, desde que a serpente tentou a Eva, que tentou o Adão, e comeram a maçã e nos condenaram a todos os pecados em que hoje somos especialistas...

Aparentemente, desde então, as tentações ficaram cada vez mais caras, além de contarem com todo um aparato publicitário. Todos nós estamos cheios de vontade de ter, vontade alimentada a todo tempo, quando abrimos os olhos e vemos todas as delícias que o consumo pode nos oferecer.

Fica cada vez mais difícil fazer o certo, fica cada vez mais difícil dizer não pro que é errado, as pessoas têm cada vez menos apreço pelo esforço e vivem com pressa de deter a posse, ainda que pulem o prazer da conquista. Assim vão escolhendo atalhos, muitas vezes ilícitos, para ter, sem nem mesmo merecer.  Abrem mão da ética, e pronto... Quem precisa dela? Só quem tem alguma consciência, mas aparentemente é uma coisa muito rara nos dias de hoje. 

3 comentários:

Dai disse...

É isso. Vivemos a sociedade do atalho. Atingir o objetivo com o caminhos mais curto.

Como você disse, muitas vezes perdemos até a noção do que é certo e errado, de tanto que as coisas andam fruídas ultimamente.

beijos

Carolina disse...

Não existe mais uma distinção plena entre certo ou errrado, ou ela não importa tanto. O que importa é ter, não importa como.

Adorei o texto!

Elaine disse...

O interessante é que "os sem ética" usam a justificativa de todo mundo faz igual mesmo... E o vício dos atalhos, como vc disse, vai se perpetrando.