sábado, 6 de novembro de 2010

Desabafo

Sabe o que não ando suportando? Não ter vontade de escrever. Como pode eu ter tantas coisas para dizer, mas não conseguir colocá-las no papel? Tudo que escrevo acho inferior, ou sem valor perante o dos outros.
Na faculdade, não me identifico com as matérias e com isso não rendo. Não me interesso, não produzo, não saio do lugar. Aff, como isso me incomoda. Mas como largar tudo? Não tenho coragem. Como não sei o que quero, para que deixar o que já foi começado? Ou seria melhor largar? Não, não tenho coragem, afinal eu ganho muito mesmo não estando interessada. Mas, será que ganho ou será que estou me boicotando? Será que as longas e misteriosas aulas de poesia francesa ministradas em francês algum dia farão diferença na minha vida? Será que já fazem?
A vida é tão improvável, escura, imprecisa e esse negócio de ter que fazer escolhas a todo momento deixa a gente louca. Não quero escolher meu futuro emprego, não quero escolher a cor do meu fogão, não quero ter que ir almoçar na casa da minha sogra todo domingo. Mas o que eu quero? Aí está uma ótima pergunta.
Ao mesmo tempo que questiono o porquê de termos que fazer tantas escolhas, quero fazer outras escolhas que não sejam as que a sociedade me impôs, quero fazer meu caminho no meu ritmo. Mas parece que meu ritmo é traçado pela faculdade que te cobra um mestrado com 21 anos e a família que te impulsiona a arranjar um bom emprego e a formar uma família.

PAAAAAARA !!!


Respira.


Quero viver esse momento, curtir um filme na sexta de madrugada, e não ficar preparando aula para o sábado de manhã. (opa... olha a tal da escolha dando as caras novamente) É, afinal, acho que não conseguimos viver sem elas.

Escolhas ...




... eu quero tê-las. Mas que elas partam de mim e não de uma sociedade que parece já ter traçado meu caminho. Aos 24 doutora, aos 25 casamento, aos 26 primeiro filho, 65 aposentadoria e 4 netos....NÃOOOOOOO ... quem sabe eu tenha netos com 35 e com 70 eu me case? Por que não?! O improvável, o diferente, o destino estão aí para nos surpreender.

3 comentários:

Het disse...

To contigo e não abro.

Existem uns grafites nos muros de uma avenida que eu passo diariamente, e que fazem todo sentido sempre, ele dizem: Por que você anda correndo?

Me faz me acalmar diante tamanha sabedoria.

Algumas pessoas acatam ordens melhores que outras, outras se rebelam com mais facilidade, a grande maioria nem se indaga sobre as questões mais importantes, e acho que você só pelo fato de estar se incomodando, já procura por aquilo que te faz bem.

Então vá! Faça o que quiseres, já diria Rauzito.

Daniel Savio disse...

Interessante, mas para isto, tem de ter coragem para ir contra o que é desafio, coragem para ir além e enchergar o que há de bom...

Fiquem com Deus, menina Lais.
Um abraço.

Dai disse...

Vou ter que usar a frase que usei esses dias:

"dúvida é quando a gente tem certeza do que quer mas acha que deveria querer outra coisa"

Acho que você tem muitas dúvidas sim, mas já tem algumas certezas e está em dúvida...

(estranho esse 'dúvida da certeza'..rs)

Eu não tenho muitas certezas pra te oferecer, mas a gente pode ficar em dúvida juntas, o que acha?

=*