segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Abrindo a caixa preta

Não se sabe o que se passa realmente dentro da mente humana e muitos cientistas vêm estudando diferentes métodos para desvendar os mistérios que se encontram dentro dessa caixa preta*. Mas, mesmo não sabendo como pensamos e como tomamos cada decisão, sabemos que pessoas de diferentes culturas e sociedades crescem com gostos e linhas de pensamento diferentes umas das outras.

Porém uma boa quantidade delas mantém a mente fechada a sete chaves para aceitar as diferenças dos outros e entender que o diferente para elas é o quão diferente elas mesmas são para os outros.

Ter a mente aberta não é só aceitar diferenças, mas também estar disposto a conhecer novos lugares, pessoas e se aventurar no desconhecido. É a coragem de sair do comum e ter um olhar mais amplo sobre as coisas criando idéias fortes, estimulando a criatividade e ao mesmo tempo com respeito às idéias de seus semelhantes.

Sempre que uma boa oportunidade surgir, não faça corpo mole, ou tenha medo de enfrentar o desconhecido. Antes de vir para Coréia do Sul tive medo de vir sozinha, num lugar completamente diferente, primeira vez longe da família, e ainda mais sem saber a língua. Como eu iria me virar? E se acontecer algo grave? E se eu não me adaptar? Mas como me disseram, é preciso ir com a mente aberta e preparada para aventuras e contratempos, pois é assim que se ganha experiência de vida e aprende-se a ver a vida por diferentes ângulos.

Realmente vim preparada para conhecer a cultura e o comportamento das pessoas daqui. No começo tive um grande choque cultural, principalmente com a comida e certos hábitos coreanos que não são comuns no Brasil. Mas tentei ter a mente aberta e tem sido uma grande experiência e estou aproveitando ao máximo a estadia.

Assim sempre que alguém disser que você está sendo teimoso ou não procura entender o outro lado da situação, pegue a sua chave e abra sua caixa preta para as possibilidades. Coisas maravilhosas podem acontecer.

*Em teoria dos sistemas denomina-se caixa preta um sistema fechado de complexidade potencialmente alta, no qual a sua estrutura interna é desconhecida ou não é levada em consideração em sua análise, que limita-se, assim, a medidas das relações de entrada e saída. Muitas coisas podem ser denominadas como caixa preta: um transistor, um algoritmo, ou a mente humana.

2 comentários:

Daniel Savio disse...

Sem ter a mente aberta não dá para evoluir, ou da pior hipotese, vai demorar bem mais para isto acontecer.

E espero que estea tudo bem ai na viagem Chen.

Fique com Deus, menina.
Um abraço.

Dai disse...

Se eu te disser que eu ando medrosa pra abrir a minha própria caixa preta vc acredita?

Pois é.

beijo!