quarta-feira, 28 de abril de 2010

Eu vejo flores em você



Ontem eu recebi flores. Sem nenhum motivo lá estavam elas, lindas e róseas nos braços do meu recente namorado. Sim, estou namorando depois de um período de pausa, reflexão e escolhas, e me entregando as delícias de conhecer e descobrir o que significa o outro.

Essa pequena exposição íntima que aqui faço possui um motivo. Eu não sei o que é uma mulher. Não sei mesmo. Eu pensei, pensei e só sei que compreendo a mulher em mim. As outras mulheres... são tão especiais em suas diferenças! Umas tão irreverentes, outras tímidas, umas ousadas, outras recatadas. Qualidades que destacam cada uma e que não permitem comparações.

Mas quanto à mulher que há em mim, dessa posso falar alguma coisa, porém não tudo, pois faz parte da alma feminina abarcar certo mistério. Desde a possibilidade de gerar outra vida, até as escondidas artimanhas que se utilizam para seduzir e encantar, as mulheres carregam em si o mistério perseguido pelos homens.

Os homens trazem em si certo encantamento por esse feminino, por essa capacidade, inerente às mulheres, de acolher, compreender, e ao mesmo tempo suportar as dores. Porém, o que descobri ontem foi que também a mulher necessita da alma masculina para se tornar mais mulher. O masculino delimita e exalta as qualidades femininas. Faz-se necessário sempre uma pitada de sensibilidade feminina ao dinamismo e empreendedorismo aplicado pelos homens. Da mesma forma, a alma feminina completa-se com a iniciativa e a objetividade característica do masculino.

Quando um homem reverencia uma mulher com flores, implicitamente pretende revelar que enaltece as qualidades femininas existente na simbologia das flores. Delicadas e exuberantes, as flores transmitem a sensibilidade e a beleza existente no mundo. Aceitando-as, a mulher legitima a iniciativa e a coragem existente no homem. Entregando­-as o homem reconhece e enaltece a beleza feminina. Nessa troca, ambos se complementam e fortalecem.

Ao saber disso, a filosofia milenar assinala: “As mulheres têm a masculinidade dentro de si e os homens têm a feminilidade. É preciso equilibrar tudo isso dentro de nós quando nos tornamos adultos.” (Agnes Pilgrim)1

“Eu vejo flores em você2.”

Até mais, Tati Mitleton

1. Agnes Pilgrim é uma avó da tribo takelma, localizada nos Estados Unidos. Essa frase foi retirada da revista “Vida Simples” de Maio de 2010, edição 92, p. 43.

2. Flores em Você, música da banda Ira, composição de Edgard Scandurra.




3 comentários:

Dai disse...

Que bonito isso, Tati

Namoro recente é tão gostoso ..ui..^^

É verdade, acho que presentes, sejam de que tipo forem, valem mais por aquilo que representam do que pelo são, de verdade.

beijo

Nara disse...

Ai,
nunca recebi flores. Fico arrasada
#namoradofikdik

Aproveita seu namoro, aproveita feito mulher apaixonada que fica toooda boobaaa!

Beijo,
Nara

Daniel Savio disse...

Somos feitos de opostos, tanto seja a parte boa e parte má, ou seja a parte masculina e parte feminina, o problema com certeza é manter o equilibrio numa vida tão atribulada que temos...

Fique com Deus, menina Tati.
Um abraço.