terça-feira, 30 de agosto de 2011

Sonhando demais


Eu sonho com uma "máquina do tempo" que possa transportar as pessoas apenas para sua infância, sabe?!

Àquele tempo em que não importava a cor da pele do coleguinha, sua condição social ou religião, onde o que importava era de fato importante, tipo a disposição do outro em correr com você, pular, esconder-se, achar, dar risada à toa, e o máximo da disputa era saber quem atirava mais distante a pedrinha, ou quem dava o grito mais alto para rirem juntos depois disso.

Quem sabe assim as pessoas pudessem recobrar seus melhores sentimentos, e, ao voltarem à vida atual, tivessem avivadas no peito o que é realmente valioso: a essência do ser.

Afinal, aparência é só aparência; dinheiro só uma condição que satisfaz muitos desejos materiais, mas não compra conversa sincera, amor e amizades verdadeiros, não traz de volta quem você amou e já partiu dessa vida; e religião, ora, tem como fim religar os Homens a um Ser Superior, não segregá-los. Não é isso? Ou eu estou sonhando demais mesmo?!


11 comentários:

Carolina disse...

Não, Elaine... você não está sonhando demais. Sonhar nunca é demais! Adorei seu texto. Adoro tudo que remete à infância.

:)

Renan Pablo disse...

Perfeita a definição de religião, de pleno acordo.
num ta sonhando de mais, nunca são demais pois infinitos, a unica coisa eh que nem todos os sonhos se tornão realidade, mas a realidade sempre torna-se um sonho :D

www.odiariode7notas.com

! Marcelo Cândido ! disse...

Sonhar é bom, ruim é acordar...

Fabi disse...

sonho também, sabe aqueles momentos bons?
queria que voltasse!

Thaysa Lopes disse...

Concordo com Você, que texto lindo. Também sonho com essa máquina do tempo.

Thalita Santos disse...

Acho que a maioria de nós queria essa máquina do tempo. E de preferência que o tempo parasse na infância, onde a pureza é nosso maior mérito e não há porque não ser ingênuo.

Adorei o blog!

Cah disse...

Parabéns, Elaine! Seu texto comungou com meus sentimentos de hoje =) Beijos

Elaine disse...

Oi gente, como seria bom se ao menos guardássemos um pouquinho do melhor que já fomos, não é?!
Obrigada aí pela participação!
Abraço a todos!

Ana B. disse...

então, eu não sei se ia querer voltar pra minha infância.

por mais que n tenha sido sofrida, por mais q eu tenha me divertido mto... n acredito que as crianças são tão inocentes e q n tem preconceitos, eu sempre sofri um bocado na escola, n por preconceito, mas sei lá, acho q existem mts crianças maldosas.

enfim, existem crianças ótimas, mas existem aquelas q te fazem aprender desde pequeno q o mundo n é justo e q mta coisa fica impune! =(

Elaine disse...

Oi Ana, o que vc disse de fato acontece, tbm presenciei algumas maldades infantis, mas acho que muito disso, desse preconceito é retrato dos adultos com quem convivem... Mas eu só acho...

Ana B. disse...

Eu tb acho que tem a ver com a influência dos pais =/