terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Estranha, mas não mordo!

Tema da semana: Cada um com a sua mania.


Tenho muitas manias, mas todas inofensivas, garanto! Perceba:
   
O tempo que um indivíduo “normal” leva para lavar as mãos, eu levo o triplo, e se porventura algum pingo de água cair no braço direito, eu molho o esquerdo também, e ainda fica mais problemático se respingar na perna, porque daí eu molho uma e depois a outra na mesma direção do pingo e na mesma proporção de água. Nem vou tentar descrever como fico girando em baixo do chuveiro pra molhar todo o corpo na mesma medida (nada sexy, eu sei!). Outro dia, inclusive, conversando com um amigo sobre esse hábito, ele me sugeriu que eu tomasse banho de balde, tipo assim, um balde pro lado esquerdo do corpo e outro pro direito, só pra eu ter certeza de que a mesma quantidade de água estava sendo usada em todo corpo. Pode rir, eu estou acostumada!

Também evito maçanetas, eu disfarço, pois não acho isso bonito, mas sempre espero que alguém abra a porta pra eu aproveitar “o vácuo”; ou uso lenço de papel, eu sempre carrego uma caixa de lencinhos na bolsa; ou se estou sem lenços, dou um jeito de abrir com um pedaço da blusa; e só em último caso abro com a mão, que eu higienizo depois com álcool em gel, que também nunca me falta, embora o gel não me dê a mesma sensação de limpeza que uma boa lavada com água e sabão. Então já dá pra imaginar que apertos de mão me apavoram, né?! Pois é, mas eu não evito abraços. Pode achar estranho, eu estou acostumada!

Mas, talvez a “limpeza” mais formidável seja “lavar” da minha vida quem me faz mal, não aguento abuso, intriga, desconfiança, falsidade, essas coisas, daí eu corto o mal pela raiz e sigo em frente, mudo e-mail, caminho, conversa, e tudo mais que possa me esbarrar à pessoa, super vivo "os incomodados que se mudem", eu me mudo, é o que eu chamo de higienizar as relações.

Outra mania é me desconectar quando uma situação ou conversa não me interessam, outro amigo meu diz que eu fico em standby. E eu considero essa uma mania deveras saudável já que o silêncio é “o amigo que nunca trai”.

E, sabe, eu convivo até bem com essas manias, elas não são perigosas pra mim, e nem machucam a outras pessoas. Perigoso é ter mania de infringir as leis de trânsito, por exemplo, achando que, só porque o trajeto que se vai fazer é curto, dirigir sem habilitação e na contra mão é inofensivo, pois não é. Ontem mesmo meu pai foi atropelado por um motoqueiro que dirigia sem habilitação um curto trecho na contra mão. Essa aí sim é uma mania irresponsável, perigosa, e que deveria ser combatida com firmeza.

P.S: Meu pai ficou muito machucado, tá internado em observação médica, mas vai se recuperar, pelo menos é o que mais estamos desejando hoje.

4 comentários:

Dai disse...

Então, são manias bem delicadas, né? Eu sempre tenho que lavar a mão depois que ando de moto, sinto uma poeira na mão, sei lá. Mas seu caso é mais intenso..rs

Tenho um amigo que fala que não são manias, são métodos.

Melhoras para o seu pai.

beijo

Ana B. disse...

Gostei do que a Dai disse, são realmente manias delicadas, típicas de gente charmosa. =)

Acho que se não te prejudica, está lindo, está ótimo... Eu se tivesse que pensar tanto pra tomar banho, acho que viraria um cascãozinho kkk

E que triste isso do seu pai, espero que os médicos observem bem, para que logo ele esteja sarado e no conforto do lar ede vcs e talz!

Adorei o texto!!!

Bjoo

Carolina disse...

Elaine, adoro o seu jeito alto astral de ver as coisas, inclusive suas manias... Cada um tem a sua mesmo, né?

Espero que seu pai esteja melhor, de coração. É incrível como algumas pessoas conseguem ser tão irresponsáveis a ponto de colocar o outro em risco. Esse doido que devia ter se machucado!

Maria Rita disse...

Adorei o texto, dei muitas risadas, pq vc é muito cheia de manias, menina! Espero que seu pai fique bem logo! Beijos!