quinta-feira, 3 de junho de 2010

Bali, a Mala e o Amor

Feriadinho chegando, é hora de arrumar as malas e por os pés na estrada! Ops...engatou na hora de arrumar as malas, seja para um final de semana ou para a temporada inteira, minha mala sempre acaba sendo do mesmo tamanho: GIGANTESCA. Mesmo assim, com certa paciência tudo cabe em seu devido lugar e estamos prontos para partir. De avião, carro, ônibus, moto e até mesmo de bicicleta vamos ao encontro de nosso destino. Chega, se instala, passeia, compra lembrança pra prima, pra avó e pra mãe. Passeia mais um pouco, conhece lugares, visita museus, praças, igrejas, tira um bilhão e meio de fotos de tudo e de todos, mal percebemos e já está na hora de regressarmos. Então chega a hora da verdade: arrumar as malas para voltar. Acredito que seja quase um fenômeno da natureza, as coisas que vieram em sua mala incrivelmente não caberão de volta, parece que se expandiram, assim como o universo se expandiu um dia, como se elas não quisessem te deixar partir ou quisessem estender as férias por mais alguns dias. E não adianta por a culpa nas lembrancinhas compradas, porque você já tinha know how da viagem passada e trouxe uma sacola exclusiva para isso. Quando isso acontece comigo e sempre acontece, prefiro pensar que estou voltando com uma “bagagem a mais”. Um tipo de bagagem especial, constituída de conhecimento cultural, boas lembranças e uma pitada de saudade que as férias e o lugar visitado deixarão. Então a gente vai arrumando as coisas na mala, acomodando outras na memória e as outras mais preciosas no coração, tudo volta ao seu devido lugar e estamos prontos para o regresso. Ah, já ia esquecendo...o tema dessa semana é “Lugares para onde viajaria(viajei)”, mas deixei minha mente “viajar” sem guia e acabei não citando nenhum lugar. Bom então lá vai!!! Eu adoro viajar e como boa geminiana que sou, a indecisão impera na minha vida, então escolher um só destino é quase torturante para mim. Logo, se eu pudesse escolher a viagem dos sonhos, escolheria uma viagem do tipo “Acrross the Universe”. Mas pensando rápido em um destino, falaria Bali na Indonésia, pela cultura, pela geografia e pela idéia fixa que criei com lugar depois de ler “Comer, Rezar e Amar”. Para quem não leu, o livro conta a viagem da jornalista Liz Gilbert para três destinos diferentes, um para cada verbo do titulo, mas com um objetivo muito maior do que apenas comer, rezar e amar. Vale a pena se deixar levar nessa viagem! Beijos e até semana que vem, Cah. PS.: Bali foi o lugar escolhido para “Amar”.

4 comentários:

Dai disse...

Cah,

que delícia de texto, muuuuuito mesmo.

Esse fenômeno da mala eu não encontro explicação também, é mais um que se encaixa naquelas coisas do tipo "não tente entender, aceite".

Bali nem vale, vai ter que escolher outro (rs). Bali é tão bom que é "café com leite"

beijos

Cah disse...

Ah Dai,

Muito obrigada!

Bom, para o fenômeno da mala em minha vida eu encontrei a minha explicação metafórica da “bagagem a mais”, porque uma explicação física para este fenômeno nem eu virando Einstein...

E sinceramente, antes nem me interessava muito por Bali, pensava na Indonésia como um todo, um paraíso natural, mas não estava na minha wishlist como prioridade. Depois de conhecer minimamente a cultura, aí me apaixonei e quero muito ir para lá! Espero que esse dia chegue logo!!!

Mas tenho muita vontade de conhecer a Índia , Japão, China, Marrocos, Hungria, Berlim, Buenos Aires, Patagônia, Machu Pichu e por aí vai, a alista só termina depois de uma volta ao mundo rsrsrsrs.

Beijos,

Cah.

Marcos Lee disse...

Cah, não encontrei seu email para responder seu comentário lá no meu blog, então vim até aqui pra te ajudar no que me pediu!

Me fale um pouco do que gosta e o que quer neste jantar que darei algumas idéias pra vc!

Ps: aquela receita são pra 4 pessoas!

Ps2: Se vc achar uma explicação para este fenômeno, me avise pq tenho viajado muito e me ajudaria muito uma solução para isto!!!

Bjos

Marcos Lee disse...

Cah, respondido lá no meu blog! Bjos