domingo, 31 de julho de 2011

“Te perdôo por te trair”

Tema da semana: Mil perdões – Chico Buarque.

Ah, quem precisa de Chico Buarque ou de Nelson Rodrigues pra vir a conhecer um pensamento/modus operandi  assim?

Quem nunca conheceu uma piriguete carente que disse trair o namorado porque ele a tratava mal? Quem nunca conheceu um homem que disse ter recorrido a uma piriguete porque a esposa era ruim de cama?

A arte imita a vida, as pessoas terceirizam as responsabilidades.

5 comentários:

Dai disse...

Ouxe, na direta mesmo, né? rsrs

Mas eu ainda acho que, sobretudo em relação à mulher, acho que uma terceira pessoa não invade um relacionamento, de certa forma é chamada pra ele... não vou conseguir me explicar...rs

=*

Carolina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carolina disse...

O fato é que as músicas do Chico realmente traduzem a realidade. Ele vai nos dando tapas na cara, jogando na nossa frente tudo o que acontece de verdade e nem adianta a gente tentar justificar "comigo não é assim".

E, nesse caso, há inúmeras formas de reagir a uma carência ou a uma insatisfação diante de um relacionamento. A traição é uma delas. Talvez a mais fraca, a mais imatura ou mesmo a mais errada, mas não deixa de ser uma delas.

Ana B. disse...

Dai,

realmente, uma terceira pessoa não invade um relacionamento, ela é convidada... contudo, na minha concepção, é quem trai que faz o convite, jamais o traído... a não ser no século passado qdo as pessoas não podiam se divorciar. hoje em dia, mts vezes, trair é não ter coragem de enfrentar os problemas, ou mesmo o fim do relacionamento. adicionar uma pessoa nada mais é do que protelar o fim, tentando conseguir de alguém de fora do relacionamento aquilo que devia ser proporcionado por ele.

Carol,
sim, trair é uma saída. quase sempre a mais cômoda e covarde.

Enfim, girls, posso estar sendo radical, conservadora, mas é o q eu penso...

Bjss

Dai disse...

Tem razão, Ana.