terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Mentira não - uma versão!


Tema: quem conta um conto aumenta um ponto.




Engraçada a adolescência! Acho que as comparações nesse período são mais acentuadas que em outros da vida. É um medo de parecer menos, um desejo de se encaixar, sei lá!

Eu por exemplo, lá pelos meus, hã, é, então, deixa pra lá, é fato que minhas amigas já estavam em estágios mais avançados e eu nunca tinha andado nem de mãos dadas com um garoto, mas isso era um segredo de morte, tanto que à época do meu primeiro namoradinho, naquele período inicial quando você conta sobre seus relacionamentos anteriores e coisa e tal, eu disse ao Jean - o nome do meu primeiro namoradinho é Jean, aquele baixinho lindo - então, eu disse a ele que eu já tinha ficado com VÁRIOS garotos. 

Ora, que mal tinha nisso?! Não era de todo uma mentira, eu realmente já tinha pego VÁRIOS - em sonhos, fantasias, num universo paralelo onde havia uma eu menos tímida e menos romântica. Mas eu não podia contar isso pra ele, era segredo, lembra?!

Enfim, eu beijei enfim! Lembro-me como se fosse hoje, nós ali, em frente à Igreja que freqüento até hoje, encostados numa brasília amarela que estava estacionada por lá. 

Ah, aquela brasília! Ah, o meu medo de que o Jean percebesse que eu era uma amadora! 

Mas acho que há coisas que a gente já nasce sabendo, pois ele nem desconfiou.

Anos mais tarde, contei toda a verdade a ele, e ele , claro, ficou lisonjeado por ter sido escolhido pra viver aquele momento especial comigo. E eu, claro, fiquei feliz, porque versões podem ser fantásticas, mas as histórias originais são sempre as mais interessantes!

3 comentários:

Michele disse...

Meu primeiro beijo foi com o menino mais lindo do Colégio... eu fiquei toda prosa na época...rsrs
Mas também não contei que era amadora.
rs

Adorei, ELaine.

renatocinema disse...

Que sinceridade e realidade.

Todos pensamos o mesmo, porém, não assumimos.

Carolina disse...

Que delícia te texto, Elaine! Foi como se nós estivéssemos tomando um café no final da tarde e, enquanto você me contava essa história, eu pudesse ver vocês dois encostados na brasília.
Lindo, Elaine!!
:)