domingo, 26 de fevereiro de 2012

Das histórias em primeira pessoa.


Tema da Semana: Quem conta um conto, aumenta um ponto.




De todas as distorções que já ouvi em histórias contadas por aí, as mais risíveis são aquelas feitas em histórias a respeito do próprio narrador. Muitas vezes a pessoa perde o senso do ridículo, pois enquanto fala, sua única preocupação é parecer mais do que é, ou mais vítima do que foi.

E assim os personagens "reais" tomam ares de  vilões de novela mexicana, o facebook destrói relacionamentos, o ex-namorado se torna o monstro do lago ness, a ex namorada se torna uma stalker crônica, tudo é possível, todos são loucos, obcecados em destruir a vida do herói da história, que é, obviamente, o narrador. Outras vezes, a história está repleta de pessoas desesperadas, que precisam de ajuda, coisa que nosso herói narrador não vai deixar de lhes oferecer, etc e tal. No final, comumente o esforço do herói não é reconhecido, e as pessoas desesperadas são promovidas a pessoas ingratas... Tudo pode acontecer, a única coisa regular é que o herói narrador se mantem em seu pedestal.

As histórias em primeira pessoa são aquelas das que mais desconfio, mas escuto... Afinal, a ficção pode ser mais emocionante quando produzida ao vivo.

2 comentários:

renatocinema disse...

Verdade pura.....

Dai disse...

"As histórias em primeira pessoa são aquelas das que mais desconfio, mas escuto... Afinal, a ficção pode ser mais emocionante quando produzida ao vivo".

É a máximo do Bentinho, né? Nunca saberemos se a Capitu traiu ou não, mas isso importa?

=*