quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Quem você apagaria?

Oi, estou me intrometendo mais uma vez em dia alheio e amanhã volto de novo, os leitores me desculpem, mas é que eu preciso apresentar uma colaboradora nova, não é? A Cah está perdendo os cabelos por causa da monografia e também cedeu o lugar para uma nova improvável.
Pois bem, a Carol do Transbordando irá escrever às quintas-feiras e dará um toque diferente ao Meninas, tenho certeza. Para saber mais sobre ela visite o blog dela e/ou clique aqui.

Beijos, Dai.



O filme Brilho Eterno de uma Mente sem Lembraças, estrelado por Jim Carrey e Kate Winslet, é um dos meus preferidos! Não, não é uma comédia. E achei incrível o Jim Carrey fazendo um drama. Clementine (personagem de Kate) resolve apagar da memória seu namorado Joel (personagem de Jim) através de uma experiência maluca de um médico mais louco ainda. E ao saber da atitude de Clementine, Joel resolve fazer o mesmo, mas não dá certo. Quem não assistiu, assista! É ótimo.

Então, quem ou o que você apagaria? Não seria maravilhoso se existisse de verdade esse método prático? Acabaríamos de uma vez com as lembranças indesejáveis de um amor que não deu certo, mas ainda assim insiste em colar em nossos pensamentos. Nos livraríamos facilmente de um trauma de infância que nos bloqueia e não deixa nada fluir em nossa vida. Esqueceríamos mágoas que persistem e não nos deixam viver novas experiências. Enfim, acho que o tratamento seria mais procurado que lipoaspiração.

Há os que conseguem (ou dizem que conseguem) terminar um relacionamento marcante e ficar só com as "boas lembranças", sem que essas memórias prejudiquem, por exemplo, a chegada de um novo amor. Há também os que acreditam que um novo amor seja a cura perfeita para aquele outro, que acabou para uma das partes mas continua a perturbar e a fazer doer. Eu confesso que já tentei as duas táticas e mais algumas. Mas não sei se por culpa do destino, de alguma macumba, doença ou loucura minha mesmo, nada deu certo. Mas hoje eu acho ótimo, porque estou vivendo novos momentos com uma pessoa inesquecível e pretendo eternizá-los, sem medo.

6 comentários:

Dai disse...

Não sei se apagaria alguma coisa, a gente é resultado também das experiências ruins. Acho que se esquecêssemos sempre as coisas,tornaríamos a fazê-las sempre e sempre.

O negócio é ir em frente do jeito que der, oras.

beijo

Bem-vinda!

Elaine disse...

Oi Carol, lendo seu post fiquei pensando que pra determinadas coisas isso seria ótimo, como situações traumáticas que nada tiveram com nossas próprias escolhas, contudo, como disse a Dai, há determinadas coisas que mesmo muito dolorosas nos moldam... Embora, eu já tenha sentido o desejo de apagar "alguéns" da minha vida, depois que superei já não importa se doeu tanto, porque enfim passou, e não é que a gente esqueça, é só que a gente não lembra rsrs... (pelo menos não com aquela dor de antes) e o bacana disso é que na sequência da vida ganhamos a perspectiva correta: Tudo passa mesmo!
Abraço.

José Sousa disse...

Penso que é a primeira vez que venho até seu espaço. O que li, aqui, gostei e vou ser seu seguidor. Seja meu também em:

www.congulolundo.blogspot.com
www.minhalmaempoemas.blogspot.com
www.queriaserselvagem.blogspot.com

Um abração e tudo de bom.

Alline disse...

Carol, eu ia dizer mais ou menos o que Dai disse. Prefiro não apagar as lembranças pouco memoráveis, porque elas me trouxeram lições pro resto da vida. Sem elas, eu não seria quem sou.

Beijo pra ti

Ana B. disse...

(musiquinha de fundo de dor de cotuvelo)
(momento super dramático mode on)

é...
eu aprendi mta coisa, mas acho q apagaria mesmo assim.
e apagaria tudo, pelo menos em um caso.

o que aconteceu de bom não foi suficiente para apagar o que aconteceu de ruim, e conhecer um lado meu, antes oculto, nao foi nada agradáve l.

além disso, perdi a habilidade de confiar, e aprendi a ficar comparando sentimentos, o que é péssimo...

mas acho que a vida vai se encarregar de diminuir a força das marcas, não é?

(musiquinha dramática vai diminuindo o volume)
(momento super dramático mode off)

Daniel Savio disse...

Interessante a tematica, mas com certeza isto nos privaria de aprender com estes erros no amor que já se foi.

E bem vinda aqui Carol =P

Fique com Deus, menina.
Um abraço.