domingo, 27 de fevereiro de 2011

E o oscar vai para...

Mim!

Não, não estrelei filme algum, não tenho a menor vocação para ser atriz... ou tenho?

Sabe aquela coisa do tipo: o hábito faz o monge, a ocasião faz o ladrão, o charuto faz a boca torta? Pois é...
A vida faz os atores... 

Afinal, a sinceridade está muito fora de moda, e ninguém sobrevive sendo sincero. Já perdi um emprego por excesso de sinceridade, já perdi várias batalhas cotidianas por excesso de sinceridade, já fui sacaneada muitas vezes por agir espontaneamente, etc e tal. Por essas e outras, tenho tentado mudar de vida.  Tenho contado até 50 quando ouço algo do que não gosto, tenho distribuído sorrisos ao invés de caras de reprovação, tenho tentado guardar para mim todas as observações que sei que vão chatear as pessoas, tenho tentando amadurecer... e parece que amadurecer é fazer escola na atuação. É o que dizem...

4 comentários:

Dai disse...

Bom, a gente interpreta mesmo, tudo é representação, até as palavras.

Acho que, não é seu caso, muitas pessoas também se escondem atrás do "sou sincero" para ofenderem os outros e ainda se sentirem no direito de chamarem o outro de imaturo quando o outro acha ruim.

bjo

Me disse...

OI!!!! Muito bom o blog, bom meeeesmo!
Olha, eu concordo com vc. A gente tem que atuar mesmo pra agradar os outros! Eu não diria que as pessoas não gostam de sinceridade, eu diria que elas ODEIAM! Infelizmente essa é a realidade.

Não sei se você já chegou a ver meu blog, mas eu falo um pouco disso, eu desabafo todas as coisas chatas do meu trabalho, coisas que lá eu não posso fazer, tenho que "distribuir sorrisos" como vc mesma falou!

To virando seguidora! Bjo

Carolina disse...

Acho que esse negócio de fazer as coisas para agradar aos outros não é legal. Não gosto disso e, se um dia tiver que ser assim, terei problemas com certeza. Às vezes temos sim que controlar um pouco nossa opinião sobre coisas e pessoas e saber a hora certa e o jeito certo de demonstrar o que sentimos e pensamos. Mas esconder, jamais!

Alline disse...

Oi, Ana.
Eu não digo tudo que penso, e olha que eu penso tanto... rsrs... mas algumas pessoas não escapam da minha sinceridade.

A sinceridade da gente só é bem aceita quando somos crianças. Aí é até bonitinha. Adultas, temos que respirar, ponderar e refletir antes de abrir a boca. É foda.

Beeeeeeeeeeeeeijo