quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Solidariedade

Tema: Coisas boas do Brasil

Entre tantos pontos positivos que eu ainda consigo enxergar nesse país, o que mais me dá orgulho é esse: a solidariedade do nosso povo. Não fiz nenhuma pesquisa pra estabelecer aqui uma comparação entre o Brasil e outros países nesse aspecto, mas reconheço nos brasileiros uma capacidade incrível de estender a mão ao próximo. E não estou falando de campanhas da TV como o Criança Esperança ou o Teletom - que acredito que têm seus méritos, porém não irei discutí-los aqui - mas do tipo mais simples de ajuda. Aquele tipo de ajuda que você dá ao seu vizinho, ao colega de trabalho, ao deficiente visual que precisa atravessar a rua ou mesmo ao seu melhor amigo.

Um exemplo que cai muito bem a esse assunto, são as campanhas solidárias de natal que existem em todos os lugares. Várias pessoas se mobilizam para ajudar aos que precisam e eu acho que essa é a maior prova de que somos uma nação feita de pessoas que valorizam o ser humano, apesar de tantos pesares. Somos representados politicamente por seres humanos que nem sempre se preocupam com a dignidade do nosso povo, mas existem pessoas que fazem questão de usar um pouco do seu tempo para se dedicar a alguém que está numa condição inferior e precisa de apoio.

Na semana passada eu recebi um email de um conhecido que está organizando uma campanha solidária para ajudar um asilo, uma creche e uma escola da minha cidade natal, Congonhas. Um grupo de amigos que está se mobilizando para arrecadar doações para essas instituições e fazer o natal dos velhinhos e das crianças mais feliz. Na mesma hora respondi confirmando minha ajuda e fiquei muito feliz em poder dividir um pouco de carinho e atenção com alguém que tanto precisa. O ato de doar uma roupa, um alimento ou um brinquedo para outra pessoa vai além: junto com o bem material ou a comida vai um abraço, um carinho, um sorriso. E acima de tudo, a mensagem de fé, de força, de coragem, de esperança. No fim das contas quem doa acaba ficando tão feliz quanto ou até mais do que quem recebe a doação.

Além das campanhas natalinas, o ano inteiro vemos outras campanhas com o intuito de ajudar a quem precisa. E em muitas vezes não é preciso nenhum recurso financeiro, apenas uma dose de boa vontade. O pouco que doamos pode ser muito a quem recebe. É essa força solidária que nos une e constrói um país melhor, apesar de tantas diferenças.  

3 comentários:

renatocinema disse...

Concordo com o que diz sobre a solidariedade de nosso povo.
Esse tipo de situação é incomparável no resto do universo.

E acredite: nem sou tão patriota assim.

Orvalho do Céu disse...

Olá, querida

" Das alturas orvalhem os céus,
E as nuvens que chovam justiça,
Que a terra se abra ao amor
E germine o Deus Salvador"...

Fico tão sem palavra para agradecer o carinho imensurável com que me cumula ao longo do ano que só posso lhe dizer que te amo fraternalmente...
Seja muito abençoada e feliz, amiga!!!
Bjm de paz e FELIZ NATAL... apesar de qualquer vestígio de dor em seu coraçãozinho....

"Quando eu estiver contigo no fim do dia, poderás ver as minhas cicatrizes,

e então saberás que eu me feri e também me curei."

Tagore

Ana Seerig disse...

Pois é, eu não sei se somos um povo em geral solidário, mas eu adoro ajudar. Me faz um bem danado! Vivo numa região em que o pessoal é meio individualista e interesseiro, mas sempre que tenho oportunidade eu ajudo. Não nos custa, não é? E ainda nos deixa leves e bem com nós mesmos...