terça-feira, 5 de outubro de 2010

Lá atrás da cortina, tenho Eu! Mas, Eu, o que eu tenho?

Taí! Se tem algo que é difícil, é encontrar a verdade. Sabe... Aquela Verdade! A verdade que encosta na cortina fina e bege (bege e bem escura), de visibilidade táctil que fica por detrás do palco.  Sim. Essa é difícil de encontrar!
Talvez, por permanecermos mais que 99% do tempo na atuação do que é perceptível pelos sentidos básicos. E isso é ruim?
Não necessariamente.
Eu diria: isso é incompleto!
O que acontece no palco, seja show ou seja ensaio, está intrinsecamente e diretamente ligado ao que ocorre lá atrás (que é base, é imprescindível, é profundo e, por isso, meio invisível). E é interessante que seja assim: o que é base, na grandessíssima maioria das coisas do mundo, teima em não aparecer (tão claramente, pelo menos). É sustentáculo e, apesar de parecer quieto, imóvel, escuro, profundo, mantém um equilíbrio inexplicavelmente dinâmico.

O que está escuro, escondido, dá medo. Dá muito medo por ser desconhecido. Porém, se é base, se é razão e sustentáculo, não deve ser tão ruim assim, não é mesmo?

É algo complexo. Muito complexo. Mas, muitas vezes, o que é complexo, é fascinante!Pessoalmente, acho isso apaixonante! E você, o que acha?

3 comentários:

Dai disse...

Geisa,

não tenho a impressão de o que esteja por trás da cortinha seja quieto, imóvel e escuro, ao contrário, lá (aqui dentro) as coisas parecem muito mais claras, dinâmicas, mutáveis. É que em algum instante curto, da espessura da cortina, algo se perde, algo se mistura, então em vez do límpido e fluente texto que eu tinha, o que transparece muitas vezes é uma fala/atuação prolixa. O que acontece? Ainda não sei bem, mas acho que a influência do público é fundamental. Você está lá com toda a peça pronta, todos os contra-regras trabalham duro para que tudo dê certo, mas assim que passa a cortina o ator(eu) se assusta com o público, pensa no que eles vão gostar ou não e decide mudar a performance. Então muitas vezes o que se tem é um standup sem graça.
Culpa do direto, ator ou público? Não sei, sei que quando vc entra em cena, tem que estar pronto a aplausos ou vaias.

beijo

Geisa disse...

Daiy,
Obrigada pelo seu comentário-complemento do texto! Concordo e agradeço! Sem mais palavras!!!

Bjocas

Daniel Savio disse...

Interessa o texto, mas engraçado que mesmo coisas que não envolva exatamente o espetaculo acaba atuando nos bastidores, por exemplo, quantos vezes o apoio de alguém especial foi decisivo para nós, mesmo quando nos preparamos para o palco?

Fique com Deus, menina Geisa.
Um abraço.