sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Do Sentir


Se você não entende a força das palavras que arremessa na minha direção,


Se não percebe o deboche escorrendo pelo canto da sua boca quando recria mentiras já conhecidas,


Se não se importa com as feridas que causa com olhares em forma de lâminas...


E se não sente a minha dor, se não sente o meu veneno, se não sente quando uma alma goteja o sangue das palavras derramadas, querido... lamento, mas EU sinto. E muito.

2 comentários:

Dai disse...

Me lembrei disso:

"Viver é perturbador, é preciso que nossos anjos e demônios sejam despertados , e com eles sua raiva, seu orgulho, seu asco, sua adoração ou seu desprezo. O que não faz você mover um músculo, o que não faz você estremecer, suar, desatinar, não merece fazer parte da sua biografia."*

É tão duro quando há esse descompasso. Quando o outro está tão longe que já não sente nem o bom nem o ruim. Já não sente, SÓ.

beijo

*martha medeiros

Daniel Savio disse...

Infelizmente, todos tem os seus limites, alguns mais, outros menos, mas todos nós temos...

Fiquem com Deus, menina [P].
Um abraço.